Metamorfoseando

Diz Esperança Cardeira no livro História do Português (Caminho, 2006) sobre as línguas autóctones que se unem ao idioma oficial, do surgimento de novas gramáticas, como a norma africana que tem sido consolidada. A escritora compara o futuro deste fenômeno ao que ocorreu com o latim, diferenciado em variadas línguas românicas, e afirma que daqui a um tempo não muito distante o português pode se transformar em Angolano ou Moçambicano, por exemplo, em tais localidades. “Apesar da pressão da norma européia, as influências vão levando à construção de novas normas, como aconteceu no Brasil”. 

“Língua oficial, por opção política, de Angola e Moçambique, o português convive com as línguas nacionais: língua veicular, operacional, língua da escola e do governo, o português funciona também como língua de intercâmbio entre falantes de diferentes línguas maternas.  A norma é ainda a do português europeu, mas o léxico, a morfologia, a sintaxe, a fonética vão sofrendo modificações resultantes do contato com as línguas nacionais. Assim, o português vai ganhando novos contornos que poderão vir a configurar novas gramáticas africanas”. (p.90)

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s