Relembrando o primeiro padre goês

Padre André Vás é o primeiro padre goês. O primeiro instituto de edução eclesiástica, em Goa, foi o Seminário de Santa Fé, fundado em 1541, devido ao zelo do Pe.Diogo de Borba e de Miguel Vás. Estabelecido, ao princípio, na igreja de N.Sra.da Luz, foi logo transferido para a “Rua da Carreira de Cavalos”, onde, em 10 de Novembro de 1541, se deu início ao novo edifício para o Seminário. Concluidas as obras, a igreja foi dedicada à Conversão de S.Paulo e aberta ao culto público em 25 de Janeiro de 1543. É daqui que veio ao estabelecimento o nome de Colégio de S.Paulo. O projecto da fundação do Seminário deve-se à Confraria da Santa Fé, que deu-lhe Estatutos a 25 de Julho de 1545. O Seminário era destinado para a formação do clero indígena, de várias nacionalidades, devendo todos os alunos serem internos. Logo que S.Francisco Xavier chegou a Goa, a pedido dos mordomos da dita Confraria, mandou em 1542, provisòriamente, ao Colégio, o Pe.Paulo Camerino, SJ, como prefeito e director espiritual dos alunos e, desde 1545, começou o Pe.Nicolau Lanciloto, SJ, a ensinar aí a gramática e explicar os clássicos latinos. Havia nesse ano, 1545, no Colégio 60 jovens, uns da idade de 20 a 21 anos e outros de 20 anos para baixo até 7 e 8 anos. Os jovens que estavam no Colégio, pertenciam a 8 ou 10 línguas diferentes.

Um dos primeiros alunos, admitidos no Colégio de S.Paulo (Seminário de Santa Fé) foi André Vás, de Carambolim que tinha as suas casas na vizinhança da igreja daquela aldeia. Já em estudante dera provas da sua muita habilidade para o ministério da pregação. A 30 de Novembro de 1547 escrevia de Baçaim Cosme Anes ao Rei D. João III que “Há na casa (Colégio de S.Paulo) quatro moços de muy gramdes abilydades que pregão aos christãos da terra…”. Um destes quatro moços—diz o Pe. G.Schürammer, SJ, é André Vás, que também se distinguiu na língua Latina, chegando a ser professor da mesma língua no Colégio de S.Paulo, ainda em aluno. É o jesuita Pe. António Gomes quem informa ao Provincial Pe. Simão Rodrigues, SJ, na sua carta de 20 de Dezembro de 1548: “Há dous mestres de latim, hum portuges por nome Domingos, Irmam da casa, outro André canarym” (Documenta Indica, I, Doc.59, p.411). Foi ordenado presbítero em 1558 pelo Patriarca da Etiópia, D.João Nunes Barreto, como se vê da seguinte “Carta Geral” do Pe.António da Costa, SJ, datada de 26 de Dezembro de 1558: “Antre os padres que o patriarcha ordenou este anno de missa foy hum da terra, da nação canarim…Foy primeiro sacerdote desta nação que nesta terra se ordenou” (A.da Silva Rego, Documentação para a história das Missões do Padroado Português no Oriente, Vol.VI, p.460). O Pe. André Vás exerceu o ministério sacerdotal na sua freguesia, trabalhando ao mesmo tempo na conversão dos gentios. É esta a informação que dava o Pe. Luís Froes, S.J., datada do Colégio de Goa, em 14 de Novembro de 1559. É talvez ele quem escreveu o Catecismo, Doutrina Christã de S.Francisco Xavier, ou ainda a gramática concani “Arte”, sendo instructor do jesuita Padre Tomás Estêvão. São outras tantas vozes lusófonas do Oriente.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s