1º de Maio – Dia do Trabalhador desde 1886

Mais de um milhão de trabalhadores estavam de braços cruzados nos Estados Unidos, principalmente em Chicago. O calendário marcava primeiro de maio de 1886. A greve visava pôr fim à nefasta exploração das fábricas que desgraçava o trabalhador com até 18 horas de trabalhos diários.

O que era uma manifestação pacífica tornou-se um massacre organizado. Órgãos repressores atacaram trabalhadores de todas as idades. Corpos defuntos iam caindo ao chão, porém nada parecia suficiente para restabelecer a ordem burguesa. A manifestação chegaria ao quarto dia do mês com conflitos entre trabalhadores e policia. Bombas explodiam e mortos eram feitos em ambos os lados. Enquanto isso, o mesquinho pensamento dos industriais só visava o retorno aos lucros.

Na prisão acabaram os principais líderes do movimento grevista, o qual em Chicago, nesta época, era majoritariamente de influência anarquista. Foram tratados com muito mais severidade que os gangsteres que circulavam pela cidade. Os trabalhadores conscientes eram, para os industriais, os verdadeiros bandidos, criminosos, facínoras.

Para os principais líderes da greve restou-lhes a forca. August Spies, antes de morrer pelas mãos do patronato, por buscar um mundo de justiça, declarou:

“Se com o nosso enforcamento vocês pensam em destruir o movimento operário – este movimento de milhões de seres humilhados, que sofrem na pobreza e na miséria, esperam a redenção – se esta é sua opinião, enforquem-nos. Aqui terão apagado uma faísca, mas lá e acolá, atrás e na frente de vocês, em todas as partes, as chamas crescerão. É um fogo subterrâneo e vocês não poderão apagá-lo!

Estava corretíssima sua afirmação. A chama dos trabalhadores não fora apagada ali. Em 1888 um congresso decidiu fazer nova greve em primeiro de maio de 1890 para que todas as zonas alcançassem o sonho mais próximo do operariado: “oito horas de trabalho, oito horas de lazer, oito horas de sono!”. A manifestação tomou dimensões internacionais. Outros países aderiram ao movimento grevista que lutava pelos seus direitos recordando os mártires de Chicago.

Com a grande repercussão das manifestações, o Segundo Congresso da Internacional, em Bruxelas, tornou o dia histórico para que todos os trabalhadores usassem-no para festejar suas conquistas, se mobilizar, se solidarizar na busca de seus objetivos. Assim a data se tornou a mais importante e o maior marco para os trabalhadores de todo o mundo.

http://tinyurl.com/4pqt6m

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s