Maravilhas portuguesas ou negacionismo histórico?

http://koluki.blogspot.com/2009/04/as-7-maravilhas-de-origem-portuguesa-e.html

A omissão, negação e manipulação de episódios indesejáveis da história é uma prática frequente em regimes totalitários. Não se entende que 35 anos depois do 25 de Abril se recorra, em Portugal, a estes métodos de negacionismo apagando de propósito parte da história da expansão marítima portuguesa. O facto que o concurso tem o patrocínio da Presidência da República, o apoio do Ministério da Cultura, Ministério da Educação, Instituto Camões e da Universidade de Coimbra e, além disso, conta com media partners como os jornais Diário de Notícias e Jornal de Notícias, sugere que uma parte da elite intelectual e política portuguesa partilha uma tal percepção selectiva da história do seu país. O governo de José Sócrates quer estabelecer em Lisboa um centro cultural africano para reforçar a ideia que Portugal é uma ponte privilegiada entre Europa e África. Internacionalmente, sobretudo no continente africano, esta pretensão teria muito mais credibilidade, se Portugal assumisse toda a sua história em relação à África e aos africanos, sem apagar a sua participação no tráfico de escravos.

Por Gerhard Seibert

 Investigador em Estudos Africanos

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s