Política de Califa Omar para viabilizar e modernizar a Biblioteca de Évora

Celebrou-se hoje na Camara Municipal de Arraiolos com pompa e circunstância o bicentenário do nascimento de um filho ilustre da vila: Joaquim Heliodoro da Cunha Rivara.

CR

Foram colocadas em destaque várias facetas da vida e da obra pelos seis conferencistas convidados, incluindo  Prof. Doutor Teotonio R. de Souza (Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias) que promoveu a re-impressão na Índia dos 10 tomos do Archivo Portuguez-Oriental ( Nova Goa, Imprensa Nacional, 1857-76) , uma obra incontornável de referência para os investigadores da história indo-portuguesa, bem como a primeira edição em inglês da Conjuração de 1787 em Goa e várias cousas desse tempo (Nova Goa, Imprensa Nacional, 1875) com uma Introdução crítica. Os outros conferencistas vieram da Universidade de Évora, e a Casa de Goa era representada pelo Prof. Doutor Narana Coissoró.

Entre outros aspectos discutidos foram apresentadas pelo jovem mestre Pedro Cerîaco as conclusões da sua tese de mestrado sobre a política adoptada por Cunha Rivara enquanto funcionário responsável da Biblioteca.  Foi acusado de Átila e Omar por ter decidido vender a peso quase 2000 arrobas de livros para fazer face às reparações do telhado que ameaçava ruir e para aquisição de livros que seriam mais úteis para os utentes.  Cunha Rivara não era daqueles que desconhecem o valor de livros e documentação rara. Deixou obra nesse sentido. Sabia discernir!

A autarquia publicará as actas do evento até ao fim deste ano.

CR1 

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s